01/10/2012 11h56
Previna-se contra o câncer de Próstata.

PREVINA-SE CONTRA O CÂNCER DE PRÓSTATA

Atualmente, o câncer de próstata já é o terceiro tumor maligno mais diagnosticado no Brasil e o quinto que mais mata. Como a doença não provoca sintomas em sua fase inicial, o Instituto Nacional do Câncer e a Sociedade Brasileira de Urologia recomendam que todo homem, a partir dos 50 anos, faça uma avaliação clínica anualmente, uma vez que, com a detecção precoce, esse tipo de câncer tem elevado potencial de cura.

DE QUE FORMA O HOMEM DEVE PROCEDER PARA SE PREVENIR?

A partir dos 50 anos, todo homem deve procurar um urologista anualmente para fazer uma avaliação clínica da próstata, ainda que esteja se sentindo bem e não tenha histórico de câncer na família. Essa avaliação consiste no toque retal — dada a proximidade da próstada com o reto, um exame indolor que permite ao médico identificar possíveis lesões na região. Além disso, a Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que, nessa faixa etária, todo homem realize, também, um exame de sangue para dosar o Antígeno Prostático Específico (PSA), substância que, quando elevada, pode indicar problemas prostáticos.

POR QUE OS CASOS DE CÂNCER DE PRÓSTATA VÊM SENDO CADA VEZ MAIS FREQUENTES?

Entre 1980 e 1990, houve um aumento de 65% na incidência aparente dessa doença, muito provavelmente em razão do avanço nos métodos de diagnósticos. Como 80% dos casos de câncer de próstata são detectados em homens com mais de 65 anos, é bem possível que a sua incidência cresça com o aumento da expectativa de vida do brasileiro, cuja tendência é ultrapassar a barreira dos 70 anos no ano de 2020.

COMO EVITAR QUE A DOENÇA ATINJA CIFRAS ALARMANTES DE MORTALIDADE?

A causa do surgimento do câncer ainda não está totalmente esclarecida pela ciência, embora já se conheçam muitos fatores de risco para seus vários tipos. Assim sendo, a detecção precoce, ou seja, no estágio inicial, ainda é a melhor forma de se prevenir as complicações, já que, nessa fase, há um grande potencial de cura com radioterapia ou cirurgia, além de maior eficiência das outras formas de controle.

E QUEM TEM HISTÓRICO DE CÂNCER NA FAMÍLIA?

Para homens que têm antecedentes familiares de câncer de próstata, a prevenção deve começar mais cedo, aos 40 anos, devendo incluir o toque retal e a dosagem de PSA no sangue, anualmente. O mesmo vale para homens da raça negra, grupo no qual há uma incidência maior do câncer de próstata (37%).

SE OS RESULTADOS DOS EXAMES PREVENTIVOS FOREM ALTERADOS, O DIAGNÓSTICO DE CÂNCER JÁ FICA CONFIRMADO?

Não. Para a confirmação, recorre-se à biópsia transretal guiada pela ultra-sonografia.

COMO SÃO ESSAS BIÓPSIAS?

Essas biópsias consistem na retirada de minúsculos fragmentos da próstata com uma agulha, para a análise da natureza de suas alterações.

E A ULTRA-SONOGRAFIA TRANSRETAL?

É realizada com uma sonda em forma de bastão, protegida por um preservativo, que é introduzida no reto do paciente. Para a realização da biópsia, uma agulha é acoplada à sonda, de forma que possa extrair pequenos fragmentos da próstata. Para evitar a dor, a região é anestesiada com xilocaína tópica antes da realização do exame.

OS SINTOMAS CARACTERÍSTICOS DE PROBLEMAS NA PRÓSTATA, COMO DOR E DIFICULDADE PARA URINAR, PODEM SER SINAIS DE CÂNCER?

A maioria desses sintomas são causados pelo aumento da próstata que, via de regra, está relacionado a alterações benignas da glândula. É importante salientar que, na fase inicial, com grande chance de cura, o câncer de próstata não provoca sintomas. Daí a necessidade da avaliação anual com exame clínico e dosagem do Antígeno Prostático Específico (PSA).